Erika Perfil

Nome Completo





Erika Cristiano dos Santos





Data de Nascimento





04/02/1988





Idade;



22 anos





Altura;





1,73m









Peso;





63kg











Clubes que já atuou.





Assossiação Sabesp





Clube Atlético Juventus





Santos F.C





FC Gold Pride-Eua





Foz Cataratas.











Títulos.



Campeã Sul-Americana 2006 (Seleção Brasileira Sub-20); Medalha de Bronze na Copa do Mundo (Seleção Brasileira sub-20); Campeã da Copa Mercosul 2006(Santos FC); Campeã dos Jogos Regionais 2006 (Santos FC); Campeã Paulista 2007 (Santos FC); Campeã Brasileira da Liga Nacional 2007 (Santos FC); Campeã dos Jogos Regionais 2007 (Santos FC); Campeã Sul-Americana 2008 (Seleção Brasileira Sub-20);Vice- Campeã Olimpica 2008 (Seleção Brasileira); Bi-Campeã da Copa do Brasil 2008-2009 (Santos FC); Campeã da Taça Libertadores da América Futebol Feminino 2009 (Santos FC); Campeã do I Torneio Internacional da Cidade de São Paulo 2009 (Seleção Brasileira); Vice-Campeã da Copa do Brasil 2010 (Foz Cataratas), Campeã Sul-Americana 2010 (Seleção Brasileira); Vice-Campeã do II Torneio Interncional da Cidade de São Paulo 2010.









terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Os dois lados da moeda! A incompatibilidade na demissão de Kleiton Lima e a insatisfação com a sua demissão.




Incompatibilidade. Esse foi o motivo alegado pela diretoria do Santos para demitir o técnico Kleiton Lima, que há 13 anos comandava o time de futebol feminino no clube e desde o ano passado estava também à frente da Seleção Brasileira. O diretor do Departamento de Futebol


Feminino do Peixe, Murilo Barletta, convocou uma entrevista coletiva nesta terça-feira para explicar que a saída de Lima se deveu principalmente ao fato de o clube entender que não era possível para o técnico conciliar seu trabalho na Vila Belmiro e na CBF.



Barletta explicou que 2011 será cheio para a Seleção Brasileira e que o Santos prefere um técnico com foco exclusivo.



- O Kleiton está num momento movimentado. A Seleção terá o Mundial no primeiro semestre. Depois, haverá os Jogos Panamericanos, que talvez coincidam com a Taça Libertadores e vai ficar difícil conciliar. Até experimentamos um pouco essa maneira de trabalhar, mas optamos pela separação, pois observamos que é incompatível - afirmou.



Durante boa parte de 2009, Kleiton se dividiu entre Santos e Seleção e não houve prejuízo. O Peixe continuou soberano, conquistando o Paulista, a Copa do Brasil e a Taça Libertadores. Por isso, chegou a ser comentada a hipótese de a demissão ter sido motivada por política: Kleiton está bastante ligado à diretoria anterior, comandada por Marcelo Teixeira. Desde que o novo grupo, encabeçado por Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, assumiu, no início deste ano, o clube foi

bastante reformulado, exatamente para tentar apagar ou pelo menos diminuir os vestígios da administração anterior. Barletta, porém, garante que isso não pesou em sua decisão.



- Mudamos o sistema de gestão. No feminino, por exemplo, alterou bastante. Mas o Kleiton nunca deixou de ser ouvido e de tomar parte nas decisões. O que aconteceu foi apenas uma incompatibilidade com relação a seu trabalho na Seleção - acrescentou.



Saída de atletas não preocupa





O dirigente reconheceu que há o risco de jogadoras deixarem o clube, seguindo Kleiton para onde ele for. Foi o treinador quem descobriu a maioria das Sereias da Vila. No entanto, Barletta não se mostra preocupado. Nem no que se refere à Marta, que retornou ao clube neste ano também em função da amizade que tem com o técnico (em 2009, Kleiton Lima foi fundamental na negociação que trouxe a Rainha pela primeira vez ao Peixe).



- Conversei com as jogadoras e expliquei que elas têm de pensar grande. Hoje, elas estão no melhor time do Brasil, que dá condições para que atuem em alto nível. Se estão na Seleção é, muito provavelmente, porque são jogadoras do Santos. Com relação à Marta, ela é uma profissional, embora o futebol feminino no Brasil seja amador. Já jogou nos Estados Unidos, na Suécia, e joga com o técnico que o time tiver.



Kleiton desabafa:"Insatisfação é a palavra que ilustra minha demissão.


A superação das dificuldades iniciais, o sucesso meteórico e os títulos expressivos não foram suficientes para a manutenção de Kleiton Lima no cargo de técnico das Sereias da Vila, time de futebol feminino do Santos. Após desentendimentos e uma certa incompatibilidade de ideias, a diretoria santista decidiu demitir o treinador, que dirigia, de forma simultânea, a seleção brasileira da modalidade.



Pego de surpresa com a decisão, Kleiton Lima fez questão de relembrar os obstáculos que enfrentou para colocar o futebol feminino nacional no patamar dos dias de hoje.



"Foram 13 anos de muita luta, de muito suor, de semeadura. Eu recordo que, no início, eu tinha de ser treinador, preparador de goleiros, massagista, preparador físico; minha casa servia de alojamento para as atletas... Até que em 2007 conquistamos títulos expressivos - o Brasileiro e o Campeonato Paulista - e despertamos o interesse pela modalidade, durante o mandato do presidente Marcelo Teixeira, e acabamos conquistando um espaço maior no Santos", enumerou.



Contudo, apesar do amparo e da estrutura que recebeu da equipe alvinegra, Kleiton explicitou a falta de sincronia com a nova administração, que assumiu o gabinete santista após a eleição de dezembro de 2009 (capitaneada por Luís Álvaro de Oliveira). O treinador revelou ter acumulado algumas rusgas com alguns diretores, porém não acreditava que elas consumariam em sua saída.



"Insatisfação é a palavra que ilustra minha demissão. Era algo que eu não esperava. Eu não imaginava começar o ano de 2011 sem minha casa, minha segunda casa. Principalmente por tudo que foi construído desde 1997. Foram 13 anos de muita luta", lamentou.



Para caracterizar a falta de apoio da diretoria em relação ao futebol feminino, Kleiton usou o exemplo do Mundial. Após emancipar uma Copa Libertadores, ele - juntamente com o clube que virou a "capital" da modalidade - alimentava o desejo de criar um Mundial Interclubes, o qual aumentaria a visibilidade das mulheres com a bola nos pés. No entanto, a empolgação de outrora não foi a mesma e o portentoso projeto Sereias da Vila começou a virar alvo de dúvidas.



"O que eu sinto é que a modalidade passou a ser tratada como algo supérfluo. No final de 2008, tínhamos um planejamento para 2009. Nós sabíamos tudo, já tínhamos uma oferta às jogadoras, sabíamos das dificuldades e onde encontrar o respaldo, se necessário."



"Briguei muito para ter o Mundial Interclubes. Eu fiquei triste porque eu vi um projeto e, nesse ano, muitos dessas coisas não tornaram-se realidade. Estou preocupado com o futuro das Sereias. Ouvi do diretor que ainda não tem patrocinador para 2011. As atletas precisam de uma segurança, o ano está terminando e elas não sabem o que serão delas. O futebol feminino já tinha passado dessa fase... Mas, terminar o ano sem as meninas saberem se vão continuar ou não? Vejo que o projeto não avançou, estagnou e talvez poderia ter alcançado proporções maiores", criticou.



A partir do dia 3 de janeiro, a equipe praiana disputará um torneio amistoso na cidade de Araraquara (Torneio Internacional Interclubes), que terá a participação do Palmeiras, do Foz Cataratas-PR e do Umea, que sequer é o atual campeão sueco.

2 comentários:

  1. 13 anos num clube depois sair assim de uma vez... é triste mesmo =(

    ResponderExcluir
  2. Triste é ver q ainda falta mto pro futebol feminino ser valorizado como é o masculino .....

    ResponderExcluir